top of page
  • Foto do escritorSandlei Oliveira

Alavancando carreiras: a imperatividade do inglês no mercado global

Por Lígia Tedeschi



No mundo em que vivemos, dominar o inglês tornou-se uma habilidade primordial para profissionais que buscam expandir suas carreiras no mercado internacional. De acordo com dados recentes da agência Catho, o conhecimento do inglês está entre as competências mais valorizadas pelos recrutadores, destacando a necessidade crescente de fluência no idioma para alavancar oportunidades profissionais.

 

Cenário atual

 

Segundo o British Council, o inglês é a língua franca nos negócios, ciência, tecnologia e diversas outras áreas. Com a globalização das empresas, a comunicação eficaz tornou-se um diferencial competitivo. O domínio do inglês não é mais apenas uma vantagem, mas uma exigência para profissionais que almejam posições estratégicas em organizações globais.

 

Crescimento salarial

 

A Catho revela que profissionais bilíngues têm, em média, salários até 50% mais altos do que aqueles que não possuem fluência no inglês. Essa disparidade salarial reflete a valorização que as empresas atribuem aos colaboradores capazes de se comunicar efetivamente em ambientes internacionais.

 

Parecer da Forword

 

Segundo Sandlei Moraes, diretor da Forword Comunicação e Idiomas, a empresa está acostumada a atender alunos com urgência em aprimorar o inglês para entrevista de emprego, como exigência para um novo cargo ou para obter um certificado de proficiência. Nas palavras dele:

 

“Recebemos pessoas de todas as idades e fazemos nosso melhor com a experiência que temos, obtendo resultados majoritariamente satisfatórios. Alguém pode dizer: ‘essas pessoas poderiam ter buscado aprender inglês mais cedo’, sim, mas elas ainda merecem crédito porque tomaram essa decisão agora, pior são aqueles que ainda ignoram essa necessidade. Apesar da triste comparação, para quem está no mercado, sempre digo que procrastinar em aprender inglês é como insistir em fumar. Você sabe que o futuro será desastroso, mas continua cometendo o mesmo erro diariamente.”

 

Demanda por profissionais bilíngues


Um relatório do Fórum Econômico Mundial destaca que a demanda por profissionais bilíngues, especialmente aqueles proficientes em inglês, está em ascensão. Empresas estão buscando indivíduos capazes de operar em contextos multiculturais, impulsionando a busca por talentos com habilidades linguísticas sólidas.

 

Competitividade no mercado de trabalho


Pesquisas realizadas pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) indicam que, em processos seletivos para cargos de liderança e estratégicos, a fluência em inglês é frequentemente listada como um critério essencial. Profissionais bilíngues são percebidos como mais competitivos e preparados para desafios globais.

 

Impacto na internacionalização de empresas


Estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelam que empresas brasileiras com foco na internacionalização consideram a fluência em inglês como um dos principais requisitos ao contratar profissionais para posições-chave. Isso reflete a necessidade de comunicação eficaz em um ambiente globalizado.

 

Oportunidades de estudo no exterior


De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o número de brasileiros buscando educação no exterior tem crescido significativamente. A fluência em inglês é essencial para a admissão em universidades estrangeiras e para aproveitar ao máximo experiências acadêmicas internacionais.

 

 

Vantagens para profissionais que falam inglês:

 

•          Acesso a oportunidades globais: o inglês abre portas para oportunidades de trabalho em empresas multinacionais, possibilitando experiências profissionais diversificadas.

•          Networking internacional: profissionais fluentes em inglês têm mais facilidade para construir uma rede de contatos global, o que é crucial em um mundo interconectado.

•          Melhores perspectivas de carreira: muitas empresas buscam líderes e gestores que possam liderar equipes globalmente. O inglês é um requisito essencial para avançar em cargos de liderança.

•          Acesso a informações e recursos: a maioria dos materiais acadêmicos, tecnológicos e de negócios é disponibilizada em inglês. Profissionais fluentes têm acesso privilegiado a esses recursos.

 

Prejuízos para os brasileiros que não sabem inglês:

 

•          Limitação de oportunidades: profissionais sem domínio do inglês ficam limitados a oportunidades locais, perdendo a chance de participar de projetos globais.

•          Estagnação profissional: falta de fluência no inglês pode levar à estagnação na carreira, uma vez que muitas promoções e oportunidades de crescimento estão atreladas à capacidade de se comunicar globalmente.

•          Exclusão em processos seletivos: em um mercado competitivo, a falta de habilidades em inglês pode ser um critério de exclusão em processos seletivos, mesmo para vagas locais.

•          Demissão: caso a necessidade do inglês venha crescendo na sua empresa, como é o caso da maioria, aqueles que resistem à mudança podem ser substituídos da noite para o dia.

  

Iniciativas de desenvolvimento

 

Para reverter esse cenário, é fundamental investir em iniciativas de aprendizado de inglês desde a educação básica. Parcerias entre instituições educacionais e empresas podem ser estabelecidas para oferecer programas de capacitação e cursos de idiomas. Além disso, profissionais podem buscar certificações reconhecidas internacionalmente para comprovar sua proficiência.

 

Em síntese, o inglês deixou de ser um diferencial para se tornar uma competência essencial no mercado internacional. Os dados da Catho e do British Council evidenciam que a fluência no idioma não apenas amplia as oportunidades profissionais, mas também impacta positivamente nos salários. É hora de os brasileiros encararem o aprendizado do inglês como um investimento em suas carreiras, abrindo portas para um futuro profissional mais promissor e globalizado.

 

Fontes:

•          Catho. (www.catho.com.br)

•          Fórum Econômico Mundial. (www.weforum.org)

•          Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). (www.abrhbrasil.org.br)

•          Fundação Getúlio Vargas (FGV). (www.fgv.br)

•          Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). (www.inep.gov.br)

•          Forword Comunicação e Idiomas (www.forword.com.br)

 

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page